quarta-feira, 9 de outubro de 2013

Soneto de Infidelidade

Es/ta/va/ di/ri/gin/do/ pe/la es/trada
can/sa/do/ pe/lo/ tra/ba/lho e/xaus/tivo
ver/me/lha/ luz/ me o/bri/gou/ a /pa/rar
e a/ men/te/ de/ci/diu/ brin/car/ co/migo

Foi/ só/ por/ u/ma/ fra/ção/ de/ se/gundo
en/quan/to ou/vi/a a/ nos/sa/ me/lo/dia
fo/ra/ bom/ lem/brar/...lá/bios/...la/bi/rintos...
Lam/pa/ri/nas/ que/ já/mais/ se a/pa/garam.

Foi/ só/ por/ u/ma/ fra/ção/ de/ se/gundo, 
mas/ eu/ pu/de/ sen/tir/ o/ seu/ per/fume 
o/ qual/ eu/ já/ não/ ti/nha/ mais/ lem/brança.

Pu/de/ sen/tir/ o/ ma/cio/ do/ seu/ seio
a/ca/ri/ciar/ o/ meu/ na/riz/ com/prido
na/ ho/ra/ que/ pe/diu/ pa/ra eu/ bei/já-lo.

Em homenagem ao professor Antônio Guimarães e a Vinicius de Morais

Denis Batista Bottoni

2 comentários:

  1. Estou alegre por encontrar blogs como o seu, ao ler algumas coisas,
    reparei que tem aqui um bom blog, feito com carinho,
    Posso dizer que gostei do que li e desde já quero dar-lhe os parabéns,
    decerto que virei aqui mais vezes.
    Sou António Batalha.
    Que lhe deseja muitas felicidade e saúde em toda a sua casa.
    PS.Se desejar visite O Peregrino E Servo, e se o desejar
    siga, mas só se gostar, eu vou retribuir seguindo também o seu.

    ResponderExcluir